segunda-feira, abril 29, 2013

dos 10 aos 30



- aos 10 tens todos os amigos do mundo quando queres
- aos 20 tens os amigos que queres e é para sempre
- aos 30 tens os amigos.

- aos 10 o melhor do fim-de-semana é ir brincar na rua
- aos 20 o melhor do fim-de-semana é sair à noite
- aos 30 o melhor do fim-de-semana é dormir.

- aos 10 achas que vais encontrar o principe encantado, casar e ser feliz para sempre
- aos 20 achas que todos podem ser o principe encantado
- aos 30 achas que realmente os principes devem ser todos sapos.

- aos 10 anos imaginas-te aos 30 casada, feliz e com 3 filhos
- aos 20 anos imaginas-te aos 30 casada, feliz, com 1 filho e montes de sucesso profissional
- aos 30 anos duvidas do casamento, dos filhos e do sucesso profissional mas estás feliz e não querias necessariamente que fosse de outra maneira.

- aos 10 anos sais com pessoas de 20 e é uma seca.
- aos 20 anos sais com pessoas de 20 e achas que conseguem conquistar o mundo numa noite
- aos 30 anos sais com pessoas de 20 e percebes que já não tens 20.

- aos 10 achas que os de 30 são adultos responsáveis, maturos e que sabem tudo
- aos 20 achas que os de 30 são completamente livres, independentes e tomam todas as decisões da sua vida com responsabilidade
- aos 30 achas que é quase indiferente ter 30, 20 ou 10, em matéria de responsabilidade, maturidade e conhecimento

- aos 10 anos, o mundo inteiro é a tua rua
- aos 20 anos o mundo é um lugar enorme que é impossivel conhecer
- aos 30 anos o mundo é estranhamente pequeno mas interessante.

- aos 10 queres ser tudo: veterinária, advogada, escritora, bióloga, fotografa do national geographic
- aos 20 queres ser a melhor profissional da carreira que te calhou
- aos 30 queres largar tudo, não ser nada e ir ver o mundo

- aos 10 achas que o que não nos mata torna-nos mais fortes
- aos 20 achas que elas não matam mas móem
- aos 30 achas que as todas as coisas são válidas, mesmo quando são contrárias.

- aos 10, as pessoas fixes são as que sabem jogar à bola
- aos 20, todas as pessoas tem alguma coisa de interesse para descobrir
- aos 30, todas as pessoas tem um desequilibrio qualquer e tu só estás para lidar com 10% dessas pessoas (que são as que tem um desequilibrio compativel com o teu)

segunda-feira, abril 15, 2013

os mares das gentes


Os mares, os oceanos que se tocam e trocam, em divisões planeadas e escritas à mão, em contratos que contém sal proveniente de diferentes desejos e vontades. As pessoas trazem mundos e mares dentro de si, a colapsarem e a colidirem como ondas em rochas, a rebentarem fora de tempo, a gritar o agora contra o eterno. A gritarem o que sabem contra o que querem, a gritarem não os limites que encerram mas os limites que transbordam. A quererem transbordar-se de si em voz, em palavras, em toques. Ansiando quem as transborde, acossando-as com tempestades e ondas mais altas que prédios, as construções humanas, as convenções a fecharem passagens, a calarem segredos.

conheço um pedinte que tem um segredo que dói. O que ele precisa dói-lhe tanto que não pede, grita e ofende quem passa - o desespero enraivecido, não porque lhe seja devido mas porque nasceu da necessidade mais visceral que o acossou. "Pobre diabo" penso quando  o vejo, cheia dos direitos e legitimidades que ele (não) tem das exigencias que o atormentam. Pede o errado, pede moedas em vez de sorrisos, pede dinheiro em vez de atenção e sabe de antemão que nunca jamais alguém valorizá alguma coisa dele, pobre diabo abandonado a uma sorte contra a qual não foi capaz de lutar. o mar dele a rebentar-se em quem passa. E não consegue expressar-se melhor, porque não pode, todas as vezes que se afundou, todos os caminhos que não fez, todas as paisagens que não visitou e as pessoas que o olham a cobrar-lhe isso, devias ser mais assim porque devias saber melhor. Um dia destes aparece morto. afogado numa esquina entre ruas, sem ninguém perceber como foi possivel.
Ocorreu um erro neste dispositivo