terça-feira, fevereiro 24, 2015

Y es que como si no subiera más hablar tu lengua, like I was a foreing in my own body, not being able to reach yours, como si nunca hubiera entendido los colores del cielo ou ainda como se tivesse aprendido a caminhar ao contrário. Al revés. Sin hacer ruído, without a clearing direction or sense of urgency.

Quantos mundos consegues trazer dentro de ti? Y se paraba mirando sus manos vacías, I can’t even understand that question, can you repeat it please, can you stop it, please?


Aún que el planeta no termina de girar sobre sí mismo, toda a gente continua com as suas vidas sabes, and you can go as far as you wanna go because, tampoco importa dónde te podrás ir. La verdad es que siempre estarás beneath the same sun, olhando para a mesma lua, e as linhas que trazes na tua mão e que se te marcam um destino, no cambiaran más, no se cambiaram más. And even when you won’t be able to return home, terás um mar mais perto do que te imaginavas,
terás um mar a prometer-te sobre novos mundos, 
terás um mar a prometer-te novas conquistas, 
terás um mar a prometer-te novas descobertas 
e talvez hoje e amanhã 
possas, 
simplesmente, 
não precisar de mais nada.




sexta-feira, fevereiro 13, 2015

um mes na ilha


Ontem fez um mes desde que apanhei o aviao em lisboa para me mudar com 3 malas de roupa, um ventilador, um secador, 3 livros em portugues e tres adaptadores de fichas, para Poole, Dorset.

- Bem vinda a ilha - deveria alguem ter dito, mas vamos la ver, quando aterras em heatrow toda a gente tem mais que fazer do que te dar as boas vindas. Isso eh no hawai, com os alohas, e em outros destinos de ferias tropicais. Aqui eh mais um vamuximbora que para a frente eh caminho, chega-te para o lado na escada rolante porque quem vem atras quer passar.

Alugamos um carro, convicta de que ia ser um causador de peripecias e afins, mas conduzir ao contrario revelou-se muito mais facil do que o previsto. Eh que eu nunca fui boa a dizer qual eh a esquerda e qual eh a direita, e como tudo acontece do lado certo, basta nao pensar muito nisso. Porreiro.

Algures agora, um mes depois, comecam-se a desenhar algumas teorias e improvisacoes sobre como viver nesta ilha.

A saber,

Thank you diz-se muito. A toda a hora e a todo o momento. Diz que eh polite, diz que eh bonito, diz que eh para usar e abusar. E nunca esquecer de o dizer em jeito de despedida ao senhor do autocarro. Eh pratica comum, sais do autocarro e agradeces a conducao. E se tiveres tempo e quiseres, ainda podes elogiar o bem que o senhor conduziu. Porque^? Por causa do tema seguinte:

Elogios sao mato. Chegas e achas que es a melhor do mundo porque numa semana elogiam-te mais do que num mes inteiro noutro sitio. "Ah, vou vencer nesta terra!! Sou mais do que o que eles alguma vez ja viram!!" Mas... chega o dia em que vais ao karaoke e recebes elogios por cantares. Nao so te deixam voltar ao palco uma segunda vez (o que em portugal nunca acontecey), como ainda te deixam voltar ao palco 5 vezes (sim, cantei 5 cancoes sem provocar danos fisicos a ninguem), como ainda te batem palmas em vez de assobiarem e rirem, como... ainda... me elogiaram. Pela primeira vez na minha vida inteira. Agora, pode ter-se dado o fenomeno milagroso de que repentinamente ganhaste um talento musical derivado sei la, do sentimento de nostalgia ou dos ares do vento da antartida. ou entao estes amigos tem o reflexo do elogio como quem diz "santinho" a um espirro. Pelo sim pelo nao, gravo um clip musical e envio para os meus amigos. As reaccoes nao trazem duvidas, estes amigos quando te fazem um elogio estao na verdade a dizer que te viram fazer algo e nao que o tenhas realmente feito bem.

O tempo que faz, o tempo que fez, o tempo que ira fazer. Todos os dias, durante todo o dia. Conversa-se sobre o tempo em qualquer sitio e em qualquer situacao, pode ser quando foste fumar, pode ser quando chegate a casa, pode ser quando te acabas de sentar no autocarro, pode ser quando estas a espera que te sirvam de gammon na cantina - que eh algo entre o fiambre e o bacon, mas acho que os nossos porcos portugueses nao tem aquela parte porque nunca tinha comido parecido. Primeiro criei a suspeita que estes amigos sao obcecados com o tempo. Algures com o avancar dos dias percebe-se que nao, falar do tempo eh na verdade uma ferramenta social que te permite auferir do interesse que alguem tem em comecar uma conversa contigo e que quer saber se tambem queres conversar. Explico melhor: lembram-se quando entramos na pre primaria e nao conheciamos ninguem e o miudo do lado olhou para nos com ar igualmente aflito e perguntou "ola, queres ser meu amigo?". Aqui em adultos fazem o mesmo, mas vem com a forma de "Hoje esta um dia bonito!", ou "Hoje nao esta muito frio" ou "que pena esta chuva, ontem esteve um dia tao bom". E depois esperam com ansiedade que a gente responda "sim, quero ser teu amigo", que na verdade se diz em sinal de concordancia. "Sim, esta mesmo um dia bonito", ou "sim, esta frio mas ao menos nao esta a chover" ou ainda "mas amanha ja nao chove, dao sol!" eh a forma como se diz que sim, eh para continuar a conversa. Se nao quisermos continuar a conversa? entao discordamos, que eh como quem diz, epah nao, ja tenho amigos que cheguem. "Nao gosto de tanto sol, fico aflito dos olhos" ou "nao acho que esteja assim tanto frio, ontem estava mais" ou "gosto da chuva" sao formas de negar conversa a alguem. Discordar sobre a apreciacao generalista que foi feita sobre o tempo causa 5 segs de silencio entre duas pessoas e depois uma dela vai embora. trigo limpo, farinha amparo!


Havia mais coisas deste genero, mas agora nao me lembro. lamento a falta de acentos e afins, os teclados daqui num teim tracinhos para se porem em cima das letras. e o facto de ter escrito este post a correr e sem revisao, mas.. era so para dar um ola neste cantinho! :)

Ocorreu um erro neste dispositivo