segunda-feira, dezembro 28, 2009

paradoxo de (in)temporal

Nunca a humanidade viveu tanto como agora. Nunca tivemos tanta informação a circular por aí, nunca tivemos tanta facilidade de contacto à velocidade instantânea, duas coisas que nos permitem fazer mais coisas e melhor.

Vivemos mais, fazemos mais, mais rapidamente. Corremos mais para fazer ainda mais, temos mais tempo porque tudo se faz mais depressa e nunca tivemos tão pouco tempo para nada.

É qualquer coisa deste género, um enorme paradoxo de (in)temporal.
Enviar um comentário
Ocorreu um erro neste dispositivo