quarta-feira, abril 25, 2012

Dona Eva

Dona Eva olhava angustiada para a balança,
A balança não mente mas mente dona Eva quando o médico lhe pergunta. Não se fica pela pergunta, suba lá dona Eva, e o ódio que já guarda pelos números aumenta. Sustém a respiração mas os números não baixam, engordam no visor ao mesmo ritmo que dona Eva engorda na barriga.
137 kilos, Dona Eva, em vez de dois a menos temos dois a mais, Dona Eva. Solta-se-lhe um suspiro, se o médico soubesse o que lhe custa! O mal está nesta sociedade, em todo lado chocolates apetitosos, bonbons pouco decorosos, rebuçados despudorados e outra vez os dedos lambuzados.

Ah, dona Eva, conter os apetites custa-lhe o mesmo que conter esse pneu por debaixo da camisola mandada fazer à medida. Anda mais descansado o marido, ao fim de 10 anos de casados encontra por fim a paz de que a única tentação seja gelado de limão.

Enviar um comentário
Ocorreu um erro neste dispositivo