sábado, novembro 26, 2005

Fim de semana que é fim de semana

é passado em casa-casa (leia-se casa habitada pelos pais), há "peixinhos da horta" para o jantar em minha honra, talvez caldo verde também. Há almoço de domingo com tios, primos, avó e picanha, há lambidelas do Nogui e da Coca, há mais lambidelas do Nogui e da Coca e também há lambidelas do Nogui e da Coca. Pior do que lambidelas é quando eu me estendo relaxada no sofá e começam dois enormes cães que nesta altura mais se assemelham a lontras a trepar semi-clandestinamente para cima de mim. Quando os dois se encontram confortáveis no sofá eu apercebo-me que tenho mais ou menos dez centímetros para ocupar... e passo para o chão. A mãe entra na sala, eu estendida no chão com uma almofada na cabeça, os dois cães que ressonam estendidos no sofá. A mãe que faz festas aos cães e tenta não me pisar. Às vezes nem reclama...

Fim de semana que é fim de semana é vir a casa, ter miminhos, comer bem e ficar com a blusa cheia de pêlos. (E se o pai der algum dinheiro extra, melhor!).

Há fins de semana em que sei que adoro a minha vida!
Enviar um comentário
Ocorreu um erro neste dispositivo