sexta-feira, abril 29, 2005

E nada mais, está dito!

Hoje em dia toda a preparação que era feita para deixar algo literário no blog foi deixada para trás. Já não interessa o que realmente as pessoas vão gostar de ler, ou rever, apenas interessa deixar palavras que correspondam aquilo que nós "bloguistas" sentimos na devida altura.
Neste momento sinto-me verdadeiramente ensonada, e perguntam vocês: não nos interessa para nada se tens sono ou não! Bom, a verdade é que não importa aquilo que está a ser escrito mas a maneria como é escrito. Será essa a razão porque o Paulo Coelho ou a Rita Ferro vendem tantos livros? O que é verdade é que apena importa o palavreado!
Assim, e sem mais demoras, e partindo para outro tema, quero falar-vos sobre a minha repulsa por pombos. Penso que é um mal necessário no fim de tudo, afinal não existe outro animal que consuma tanta água (radioactiva) do nosso conspurcado rio e, também, não existe outro animal que faça tão felizes os nossos velhinhos, digamos que gastam boa parte do seu tempo atirando migalhas, sopa ( é verdade) e outros afins para os ditos cujos. Não sei se já pensaram nisto, mas os pombos são simbolo de qualquer cidade, não sei se têm por hábito viajar, mas passem a reparar que por onde quer que vão lá está o maldito animal. Tive uma epifenia, quando estava, numa das mais belas cidades na minha opinião, em Florença não consegui resistir e dei um bom bocado de um hamburguer a uns pombos que por lá moram, e depois reparei que estava tinho um "monhé" a vendar alpista aos turistas. Estes compravam de facto o alpista davam-o de comer aos pombos e tiravam repetidas fotos, extremamente animados, deixem que vos diga. O que me leva a outra conclusão, para estas criaturas (sim, estou a referir-me aos estrangeiros) quererem tirar fotos com eles é porque nas suas terrinhas os ditos animais malditos ainda não chegaram.
Moral da história e encurtando uma grande viagem à terra dos pombos, tratem-nos bem porque são um dos bens nacionais ( os nossos são sempre únicos) pois eles até podem-nos servir de conforto, pois afinal existe bem maior à frustação do que lhes passar por cima? ;P
ps: Para a sociedade protectora dos animais, eu não lhes passo por cima, eles é que são tão estúpidos que chocam com o carro.
ps2: E podem dar-se por felizes por eu não conduzir em Lisboa, lol, seria um massacre heheh
Enviar um comentário
Ocorreu um erro neste dispositivo