quarta-feira, maio 11, 2005

As coisas que chateiam

Nos dias de hoje vejo-me cada vez mais atrapalhada com a faculdade. Deparo-me com dificuldades nunca antes tidas porque se calhar nunca me dei ao trabalho de procurar por elas. Estou constantemente entre um trabalho e outro e não vejo os meus pais "como deve ser" há algum tempo, tenho saudades de irritar a minha loira e ainda por cima não vejo os meus amigos há montes de tempo. Trabalho num sítio que poderia categorizar como irrisório, e mantenho uma certa distância dos animais. Esta pode ser uma boa definição da minha pessoa. Embora não seja conhecida pelo constante stresse quando se trata de estudos, ultimamente estou. O que é mau sinal. Penso de que...
O que me salva apesar de tudo são as pessoas que encontro todos os dias pelo caminho, pessoas essas adoravéis, tão ou mais do que eu, que me confortam ou me irritam, e eu não me importo. Tenho como maior delícia passear no 68 e perder-me em pensamentos ao mesmo tempo que levo com o cheiro do sovaco de alguns portugueses menos asseados. Comer uma pita também me satisfaz, mas apenas com uma pessoa, a "viciada" em pitas. Digo-te desde já que é sempre um prazer partilhar uma pita com alguém estando sentadas num muro com as costas viradas para a estrada e a cara virada para a parte da frente de um carro (tu obviamente lembraste a marca ;P ) e ao mesmo tempo um puto de 5anos vir fazer o seu xixi ao nosso lado. Viva a roulote "estrelitas".
Há apesar de tudo esta constante preocupação com que tudo esteja bem. Porque como todos nós sabemos ao mesmo tempo que chegam os trabalhos chegam também os gritos, discussões, zangas sobre coisas ridiculas por aí.
Permito-me acreditar que as coisas são como deveria ser, e assim continuo.
ps: será isto um post sobre o nada? De qualquer maneira obrigada pela atenção ;)
Enviar um comentário
Ocorreu um erro neste dispositivo